sexta-feira, maio 09, 2008

Papa tenta "sarar a ferida"

Deu no Estadão do dia 9/4: "Em sua primeira viagem aos EUA como líder católico, na próxima semana, o papa Bento XVI tentará sanar as feridas deixadas pelo escândalo de abusos sexuais, responsável por abalar a imagem da Igreja Católica naquele país, afirmou a segunda maior autoridade do Vaticano. "O papa falará de uma forma específica a esse respeito", disse o cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado do Vaticano, em uma entrevista concedida ao canal Fox News e que deve ir ao ar na quarta-feira. "O papa, junto com os padres da Igreja, tentará naturalmente trilhar o caminho rumo à cura e à reconciliação."

O escândalo dos abusos sexuais começou em Boston em 2002, quando se descobriu que dirigentes da Igreja mudaram padres acusados de abusar de crianças para novas paróquias ao invés de destituí-los de sua batina ou denunciá-los à polícia. O escândalo mais tarde ampliou-se para abarcar quase todas as dioceses do país.

Em julho passado, a Arquidiocese de Los Angeles aceitou pagar 660 milhões de dólares para 500 vítimas de abusos sexuais praticados desde os anos 40.

O papa alemão, que deve visitar Washington e Nova York, levantará a questão dos abusos sexuais em um pronunciamento a ser feito na catedral de St. Patrick, no dia 17 de abril, afirmou Bertone. O líder católico permanecerá nos EUA entre os dias 15 e 20 deste mês e deve também discursar na Organização das Nações Unidas (ONU). ...

Nota: Na verdade, a "ferida" que o papa pretende curar é mais profunda que a infligida pelos padres pedófilos. A ferida maior é profética (cf. Apocalipse 13:12) e vem sendo curada num processo que já dura algum tempo e que culminará numa aliança entre o Vaticano e os Estados Unidos. Essa visita de Bento 16 à nação norte-americana (tradicionalmente protestante, mas que se afastou em grande medida dos ideais do protestantismo), sem dúvida, faz parte do panorama profético. Quem viver, verá o desfecho disso.[MB]