sexta-feira, novembro 12, 2010

Os exemplos que vêm dos games

Se a liberdade sexual ainda é um tema incompreendido por grande parte da sociedade – basta ler as acusações entre candidatos sobre o casamento entre indivíduos do mesmo sexo – nos games a regra é o “liberô geral”, pelos menos na cabeça das equipes de desenvolvimento. Apesar das tentativas de produzir games com personalidades heterogêneas, as ideias “avançadas” nem sempre eram bem aceitas e a censura comia solta, no bom sentido. Pensando nesses personagens que deixaram os videogames coloridos como um arco-íris, o MSN Jogos preparou uma galeria que “abalou o Bangu” e resolveu “sair do armário”:

Armário 1: Birdo | Primeira Aparição: Super Mario Bros. 2 - Não se engane apesar da cor rosa e do lacinho na cabeça, Birdo é um transexual. E a notícia de suas escolhas de vida diferenciada se espalhou pelo Reino dos Cogumelos como água do mar após tsunami. Resultado: o pobre bicho foi obrigado a esconder sua real sexualidade e dar uma de mulher. [...]

Armário 2: Ash | Primeira Aparição: Streets of Rage III – Enquanto a Nintendo representava os “valores familiares”, colocando entre os critérios para licenciar um game para o seu sistema a sexualidade, a Sega era “terra de ninguém”. Os jogos sempre chegavam com sangue, violência e temas polêmicos sem muitas restrições. A coisa mudou com o chefão Ash, do “Streets of Rage III”, um marombado ao estilo Village People. Para o jogo chegar aos EUA sem polêmicas, o bofe foi retirado da fase! Porém, existem soluções pra tudo e ele ainda pode ser acessado por cheat.

Armário 3: Poison | Primeira aparição: Final Fight – Se em outros casos, os personagens desapareceram ou foram modificados para não causar polêmicas quanto à sexualidade, o caso da Poison é exatamente o oposto. Para evitar problemas na receptividade do público americano, os produtores de “Final Fight” disseram que a personagem se tratava de um travesti. Pensaram eles que assim tudo ficaria bem e ninguém os processaria por “incentivar a violência contra as mulheres”. O tiro saiu pela culatra e a Nintendo considerou inaceitável ter uma Poison transexual na conversão do game...

Armário 4: Rain Qin | Primeira aparição: Fear Effect 2 Retro Helix – Em 2001 os games já estavam mais maduros, abordando histórias mais ardilosas e permitindo ao jogador fumar um cigarrinho no controle de Solid Snake. Outro game, “Fear Factory 2”, colocou no palco uma protagonista declaradamente lésbica: Rain Qin. Para deixar as coisas mais enigmáticas, a relação da personagem com a outra protagonista, Hana Tsu Vachel, mexe com a imaginação de muitos jogadores...

Armário 5: Beijo de Persephone em Niobe | Primeira (e única) aparição: Enter the Matrix - Em uma cena do game “Enter the Matrix” a protagonista Niobe (Jada Pinkett-Smith) precisa passar por Persephone (Monica Bellucci) para prosseguir. As condições: que Niobe a beijasse como se fosse a pessoa amada. Após uma primeira tentativa enojada, a parceira de Ghost (Anthony Wong) beija a Persephone novamente! Para quem viu a trilogia, vai se lembrar de uma cena parecidíssima com o Neo (Keanu Reeves).

Armário 6: Gay Tony | Primeira aparição: Episodes of Liberty City: The Ballad of Gay Tony - Empreendedor das noites de Liberty City, Anthony Price é poderoso e tem pulso firme para os negócios. Como seu apelido sugere, é gay assumido. Esta talvez tenha sido uma das aparições mais brilhantes de personagens homossexuais em games. A sexualidade de Tony simplesmente serve como pano de fundo, enquanto o personagem tem valores e características marcantes, que independem de suas escolhas pessoais. Tudo a favor de um mundo heterogêneo nos games. [...]

(MSN)

Nota: Segundo o site Folha.com, “o Pot Farm (fazenda de maconha, em tradução livre), cujo número de usuários ativos ultrapassa 1,8 milhão, permite que o usuário crie um avatar e plante a erva livre e virtualmente. [...] O usuário começa o ‘negócio’ em uma área aberta e, gradativamente, vai adquirindo e barganhando objetos - e, é claro, maconha. À medida que vai progredindo no jogo, o espaço virtual da ‘fazenda’ vira algo similar a uma comunidade hippie, com adereços e plantas geralmente vinculados a esse estilo de vida. [...]

Leia também: "Jogo simula estupro e aborto de mulher e filhas" e "'Geração tecnológica' exige cuidado redobrado"