quarta-feira, março 23, 2011

Maioria dos americanos aprova casamento gay

A maioria dos americanos é favorável ao casamento gay pela primeira vez em quase uma década de pesquisas sobre esse tema, segundo um estudo de Washington Post e ABC News, publicado [na] sexta-feira. Em torno de 53% dos americanos dizem ser favoráveis à união entre duas pessoas do mesmo sexo, contra 32% que a aprovavam em 2004, afirma a pesquisa que consultou adultos entre 10 e 13 de março. Em torno de 44% dos americanos dizem ser contrários às uniões gay, o que marca um retrocesso de 18 pontos nessa postura em relação à pesquisa anterior. No entanto, o assunto continua sendo muito polarizado: entre os consultados, há tantas pessoas “fortemente” opostas ao casamento entre homossexuais como “fortemente” a favor. O governo de Barack Obama tomou posição no mês passado contra uma lei federal que proíbe o casamento entre pessoas do mesmo sexo ao julgar esse texto “inconsticional”. Isso enviou um sinal forte de apoio à comunidade homossexual americana. Há dois meses, o Congresso derrubou a lei que obrigava os homossexuais do exército a ocultar sua orientação sexual.

(Terra)

Nota: Assim como ocorre no Brasil, o “país do carnaval”, não sei o que significa dizer que, como os Estados Unidos, somos também um país “cristão”. Se fôssemos mesmo, as coisas seriam bem diferentes... Cada um pode viver do jeito que bem entende e temos que respeitar esse direito. Mas a incoerência salta aos olhos quando mais da metade de um país que se diz(ia) protestante aprova um tipo de “casamento” claramente condenado pela Bíblia, isto é, o “casamento” entre pessoas do mesmo sexo. Lembro-me de ter lido em algum lugar que um dos grandes defensores do “casamento” gay se gaba de ter tido cerca de 500 amantes. A homofobia, de fato, é algo objetável, assim como a xenofobia, o racismo e mesmo a cristianismofobia. Atualmente, muito mais cristãos do que gays estão morrendo e sofrendo agressões em países que os perseguem. Mas quase ninguém fala nisso. Pelo contrário, os direitos da minoria homossexual é que são ciosamente garantidos. Eles têm direito, inclusive, a se exibir de forma indecente nas muitas paradas gays que são promovidas mundo afora, a céu aberto, diante mesmo de crianças. Como já disse muitas vezes aqui, temos que respeitar e amar os homossexuais e levar o conhecimento de Jesus a eles. Mas por que devemos nos calar ou ser impedidos de falar de nossa discordância do estilo de vida homossexual? Que cada um tenha liberdade para “escolher” sua orientação sexual, mas que não percamos a liberdade de expressão combatida pela militância de uma minoria barulhenta.[MB]