quinta-feira, novembro 22, 2012

Mundo caminha para a aceitação do casamento gay

Pela primeira vez nos EUA, três estados aprovaram nas urnas em 6 de novembro o casamento de pessoas do mesmo sexo, dando um ponto final a uma sucessão de derrotas eleitorais para a medida em 32 estados. Um quarto estado rejeitou um veto ao casamento gay. Na católica França, o novo governo socialista acaba de aprovar uma lei que permite esse tipo de casamento. A Nova Zelândia está se preparando para aprovar uma legislação similar no ano que vem. Os governos da Inglaterra e da Escócia também se comprometeram a fazer o mesmo em breve. E na Espanha uma lei do casamento gay foi aprovada há sete anos e finalmente recebeu um selo de aprovação do Tribunal Constitucional.

Apenas 12 anos após a Holanda ter se tornado o primeiro país a legalizar as núpcias homossexuais, a tendência global rumo à concessão de direito integral de casamento aos homossexuais parece estar se consolidando em um ritmo inexorável. O casamento homossexual agora é legal em nível nacional em 11 países, Argentina e África do Sul inclusive, bem como em partes de outros dois. No México, gays podem se casar na capital e nove estados dos EUA bem como a capital legalizaram o casamento homossexual, na maior parte dos casos por via de contestações judiciárias.

Para além disso, em 78 países – a sua maioria no mundo muçulmano, África e outros países em desenvolvimento – o sexo homossexual ainda é crime, passível de ser punido com vários anos de encarceramento e até execução. A oposição contra o casamento gay ainda é forte, particularmente de igrejas, grupos conservadores e alguns políticos.

Mas as atitudes estão mudando – e rapidamente. Há 50 anos a homossexualidade em si era um crime na maior parte do mundo. A Grã-Bretanha só descriminalizou a prática em 1967 e somente em 2003 a Suprema Corte americana invalidou as leis de sodomia que ainda vigoravam em 14 estados. Hoje em dia, na maior parte do Ocidente, pesquisas de opinião mostram uma maioria da opinião pública a favor da igualdade para os gays, a favor inclusive de permitir que eles casem e adotem crianças. Há 10 anos, dois terços dos americanos eram contra o casamento gay; agora, mais da metade, incluindo alguns católicos, são a favor. Tendência similares podem ser percebidas em outros países ocidentais.

Por que essa mudança tão rápida, a qual surpreendeu até muitos ativistas? Parte dela é geracional. Pessoas mais jovens que cresceram em uma era mais tolerante simplesmente não conseguem entender porque tanto barulho por nada. Mas se trata também de uma mudança de comportamento entre os gays em si. Conforme as leis homofóbicas caíram, mais homossexuais saíram do armário. E à medida que seus vizinhos heterossexuais os viram levando vidas familiares felizes – incluindo crianças – sem que isso implicasse o fim do mundo, eles se tornaram mais amplamente aceitos.


Nota: Para quem ainda duvida de que o mundo está indo ladeira abaixo no quesito moralidade, mais uma evidência: de acordo com informações publicadas no Portal R7, o Festival Caldas Country, em Caldas Novas (GO), realizado nos dias 17 e 18 de novembro, reuniu milhares de pessoas para assistir aos shows e deixar um rastro de vandalismo e criminalidade no local. Considerado o maior festival musical do gênero no país, com uma estrutura gigantesca, o Caldas Country gerou saldo de 12 mortes, 21 estupros e diversos casos de vandalismo e atentado ao pudor. Durante o show, várias pessoas foram flagradas praticando sexo pelo local (foto acima), escoradas nos carros estacionados, e consumindo drogas – tudo na frente de outras pessoas, o que mostra que há aceitação não apenas do casamento gay, mas de outros tipos de comportamento. Em tempo: São Paulo também terá uma das maiores festas de bebedeira do mundo: a Oktoberfest. O que não presta sempre se espalha. E isso, também, é evidência de que Jesus breve voltará e de que nossa dívida com Sodoma e Gomorra vai se tornando impagável.[MB]