sexta-feira, dezembro 12, 2014

As várias formas de estupro

Deputada Maria do Rosário
Nada, absolutamente nada justifica as palavras grosseiras ditas pelo deputado Jair Bolsonaro para a deputada Maria do Rosário. Bolsonaro afirmou em discurso no plenário da Câmara na terça (9) que só não a estupraria porque ela “não merece”. Isso é ridículo e, sem dúvida, caracteriza quebra de decoro parlamentar, humano e de qualquer tipo. Diferenças ideológicas não podem ser tratadas nesse nível. Nenhuma mulher merece ser estuprada! Nenhuma mulher merece ouvir palavras desse nível. Mas há um detalhe interessante e sórdido nisso tudo: a desproporção das reações ao absurdo. Veja só: (1) ex-assessor de Gleise Hoffmann foi condenado por estupro (silêncio da esquerda); Lula falou que tentou estuprar um colega de prisão na cadeia, alegando-se depois se tratar de brincadeira (silêncio da esquerda); Paulo Ghiraldelli falou que Rachel Sheherazade deveria ser estuprada (silêncio da esquerda). Mas no caso Bolsonaro-Rosário o estardalhaço foi e está sendo grande. Todos esses casos mereciam ser tratados com o devido rigor. Com essas coisas não se brinca!

Mudando de assunto (para depois fazer a relação de uma coisa com a outra), Maria do Rosário está entre os nomes da lista de doações de campanha da Engevix, apreendida pela PF na sede da empreiteira, em São Paulo. Ou seja, faz parte da polêmica operação Lava Jato. É corrupção. E corrupção é, também, um tipo de “estupro”. Com sua atitude, os corruptos estupram o país. Atrapalham seu desenvolvimento. Impedem que preciosos e suados reais sejam investidos em educação, saúde, saneamento, etc. Com o desvio de verbas (especialmente as públicas), pessoas sofrem. Menos merenda vai para as escolas. menos escolas são construídas. Menos leitos são disponibilizados nos hospitais. Pessoas têm seus direitos “estuprados”, espezinhados.

Quando é que o sujo vai parar de atirar pedra no mal lavado? Só quando toda sujeira deixar de existir...

Michelson Borges