terça-feira, março 17, 2015

“Babilônia”, a nova confusão da Globo

Beijo gay no primeiro capítulo
“Beijo na boca entre duas senhoras, duas cenas de sexo casual, golpe do baú, réveillon em Paris, traição, menina ingênua enganada por homem casado, gravidez indesejada, exploração na fila do transplante, duas chantagens, um atropelamento, um assassinato. Em outros tempos, essas situações poderiam ocorrer ao longo de uma novela inteira. Nos dias de hoje, em que é preciso dar choques elétricos no espectador a cada minuto, não há tempo para enrolação, ao menos no capítulo de estreia. ‘Babilônia’ pegou o espectador pelo colarinho e o sacudiu por mais de uma hora com essa saraivada de situações. Foi atordoante. Tudo aconteceu em sequência, com impressionante agilidade. Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga fizeram o possível e o impossível para manter o público de olhos abertos nesse primeiro capítulo.

“Duas vilãs em estado bruto foram apresentadas e duelaram em cena – Beatriz (Gloria Pires) e Inês (Adriana Esteves). Idem para a mocinha pobre e ingênua, Regina (Camila Pitanga), que caiu na conversa de um homem casado, Luis (Gabriel Braga Nunes), e engravidou no primeiro encontro. Teresa (Fernanda Montenegro) e Estela (Nathalia Timberg) se beijaram logo no início do primeiro capítulo, transformando a questão do ‘beijo gay’ em fato consumado. Como em ‘Vale Tudo’, também de Gilberto Braga, o personagem de Cassio Gabus Mendes, Evandro, caiu na conversa da personagem de Gloria Pires.

“A supervilã Beatriz não apenas armou o golpe do baú em poucas cenas, como também matou o motorista do futuro marido, Cristovão (Val Perré), que a estava chantageando, e ainda deu um jeito de culpar Inês, a segunda vilã da história, que também está tentando arrancar dinheiro dela.”

Esse é o resumo de Maurício Stycer (publicado no UOL) do primeiro capítulo do novo folhetim de uma das emissoras de TV que mais contribui para a disseminação da baixaria em nosso país. Durante alguns meses, todas as noites, adultos e crianças terão contato com esse tipo de conteúdo. Note que o próprio Stycer reconhece que o povo já está meio que amortecido depois de contemplar nas telas tanta perversão, distorção de valores e pouca-vergonha. Os produtores de novelas, filmes e seriados precisam apelar cada vez mais, se quiserem manter a atenção dos telespectadores que eles mesmo ajudaram a dessensibilizar. Assim, se antes era necessário valer-se de inúmeros capítulos como preparação para um beijo gay no final da novela, agora já começam com isso, e a aceitação é absoluta. Dá-lhe instinto de rebanho

Aliás, veja só o que o deputado militante gay Jean Wyllys escreveu eu seu Twitter: “O choro é livre, reacionários e fundamentalistas e fascistas e homofóbicos. Eu vivi pra ver! Parabéns.”

Agora quem não considera apropriadas as cenas exibidas na TV, em horário nobre, não pode nem se manifestar. Do contrário, corre o risco de ser considerado “reacionário”, “fundamentalista”, “fascista” (!) e “homofóbico”. Aliás, o ex-candidato à presidência da República Levy Fidelix foi condenado a pagar 1 milhão de reais a movimentos LGBT, acusado de homofobia (confira). Por quê? Por ter feito as seguintes declarações: “Dois iguais não fazem filho” e “Aparelho excretor não reproduz”. Tem algo de errado nisso? Biologicamente falando, as frases estão corretíssimas. Se Fidelix foi condenado por falar obviedades, por que não foram condenados os militantes gays que profanaram símbolos religiosos em público (confira aqui e aqui)? O Código Penal Brasileiro, em seu artigo 208, traz o seguinte: “Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso: Pena – detenção, de um mês a um ano, ou multa. Parágrafo único: Se há emprego de violência, a pena é aumentada em um terço, sem prejuízo da correspondente à violência.”

Quanta justiça...

Sophie será uma prostituta de luxo
Bem, voltemos à novela da Globo. Uma das vilãs será interpretada por Gloria Pires: Beatriz é uma ninfomaníaca que se livra dos homens depois de ter relação sexual com eles. Bruno Gagliasso vai encarnar um cafetão e transformar a personagem de Sophie Charlotte em uma prostituta de luxo. Deborah Evelyn dará vida a uma mulher totalmente desequilibrada capaz de tudo para atingir seus objetivos. Cássio Gabus Mendes será um milionário que adora fazer maldades. Marcos Palmeira vai viver um político corrupto.

Ontem li o capítulo 2 da primeira carta de Paulo aos Coríntios, e me deparei mais uma vez com o versículo que diz: “Nós, porém, temos a mente de Cristo.” Esse “porém” contrasta a “mente espiritual” com a descrição anterior de uma mente secularizada, não espiritual. Sinceramente, não sei como alguém que perde tempo diariamente com um tipo de conteúdo como esse veiculado em “Babilônia” pode ter a “mente de Cristo”. Para ter a mente de Cristo é preciso ter Cristo na mente. O dia a dia já é tão corrido que se torna um desafio encontrar tempo para a leitura da Bíblia e para a oração. Como, então, desperdiçar uma hora todos os dias para assistir à promoção de “valores” que atentam contra os princípios cristãos? Que tipo de conteúdo vai povoar seus pensamentos? E escolha é sua, evidentemente

A palavra “Babilônia” significa “portal dos deuses”. Para os judeus, o termo vem do hebraico antigo babel (בבל), que significa “confusão” (“grande confusão”, segundo o Dicionário Michaelis). Babilônia foi a capital da antiga Suméria e Acádia, na Mesopotâmia. E no Apocalipse (cap. 17) é utilizada para simbolizar a prostituição espiritual, a confusão doutrinária e a oposição às verdades divinas.

De certa forma, confusão, prostituição e deboche das verdades bíblicas serão exatamente o conteúdo que milhões de brasileiros contemplarão todos os dias, por alguns meses, a partir desta semana. [MB]

Em tempo: Continua ativa no site da Câmara dos Deputados a enquete: “Você concorda com a definição de família como núcleo formado a partir da união entre homem e mulher, prevista no projeto que cria o Estatuto da Família?” Não deixe de votar! Clique aqui.