domingo, junho 26, 2016

Homem diz ter sido amante de atirador de Orlando

Revelações constrangedoras
Um homem deu uma entrevista à rede de TV Univisión afirmando ter sido amante do atirador que matou 49 pessoas em uma boate gay de Orlando, na madrugada do último dia 12. Segundo ele, Omar Mateen teria atacado a boate Pulse não por terrorismo, mas por vingança contra os porto-riquenhos. No relato, o entrevistado, que pediu para ocultar o nome e o rosto, disse que Mateen contou a ele que uma vez teve uma relação sexual sem proteção com dois porto-riquenhos que conheceu na Pulse e depois ficou sabendo que um deles tinha HIV. O homem disse que conheceu Mateen em um aplicativo gay de encontros e que após o massacre entrou em contato com o FBI para relatar que manteve uma relação com ele por dois meses, nos quais se viram entre 15 e 20 vezes. Segundo a Univisión, o FBI confirmou ter ouvido a testemunha. O entrevistado disse também à Univisión que a mulher de Mateen sabia que ele era gay e mantinha com ele um casamento de fachada. O canal é direcionado ao público latino nos Estados Unidos.


Nota: Detalhe: o canal Univisión informou ainda que o Hotel Ambassador, onde os amantes se encontravam, confirmou que Omar esteve no local 63 vezes no ano passado. Militantes LGBT chegaram a acusar cristãos “fundamentalistas” de criar uma mentalidade homofóbica que favoreceria esse tipo de ataque, e o deputado homossexual Jean Wyllys disse que o massacre teria sido um ato homofóbico. E agora? [MB]