quinta-feira, dezembro 22, 2011

Feliz Natal e um abençoado 2012 para você

Prezado leitor, do dia 23 de dezembro ao dia 2 de janeiro, estarei mais ou menos off-line, motivo pelo qual as atualizações do blog, nesse período, não serão tão frequentes. Aproveito a oportunidade para agradecer seu apoio e prestígio. Este trabalho voluntário no blog Criacionismo (e no Twitter @criacionismo) muitas vezes cobra seu preço (gasto de tempo, críticas, oposição dos que pensam de modo diferente e não sabem discordar com classe, etc.), mas acredito que os resultados compensam o esforço e os dissabores. Muitas pessoas têm sido beneficiadas com a defesa racional da fé e com as fontes de pesquisa que procuro disponibilizar aqui. Tenho certeza de que, “no Senhor”, este trabalho não tem sido em vão (1Co 15:58). Por isso me encho de ânimo para prosseguir, a despeito da maré contrária. Quero, também, agradecer os muitos colaboradores que diariamente me enviam links, sugestões de postagens e dicas. São tantos (uns mais frequentes, outros menos) que não gostaria de cometer injustiças mencionando um ou outro nome. Enfim, agradeço a todos e desejo-lhes um feliz Natal (focado no Aniversariante) e um abençoado 2012 (estejam certos ou não os maias, rs). @bs

quarta-feira, dezembro 21, 2011

Isaac & Charles: "a maior ideia do homem"

[Clique na tirinha para vê-la ampliada.] A revista Ciência Hoje de julho de 2009 publicou a matéria de capa "Darwin e a evolução - Uma teoria que mudou o mundo". O editorial apresenta, em minha opinião, uma das melhores definições do que é darwinismo: "Há 150 anos, era publicado um livro que mudaria radicalmente nossa concepção da natureza. A Origem das Espécies, do naturalista inglês Charles Darwin, propunha uma teoria avassaladora: a de que existiria um parentesco evolutivo entre todos os seres vivos, mostrando que os humanos e os macacos descendem de um ancestral comum." O resto é puro ufanismo darwinista, a la Dennett. Clique aqui e confira.

A história do verdadeiro Papai Noel

Este conto não é de adolescentes, é de um vovô e seus netinhos: Alice, de sete anos, Laura, de cinco anos, Gabrielzinho (era assim que o chamavam por ser pequeno), de quase três anos (vai fazer no dia 27) e o bebê que mamãe está esperando, chamado: Nicolas.

Flávio passou a mão na testa rapidamente e voltou a por a mão no volante; estava suando. Mesmo estando de férias, tinha um trabalho: se vestir de Papai Noel para agradar a criançada lá na praça. O que ele fazia era simplesmente dizer: "ho, ho, ho, feliz Natal", dar uma balinha para cada criança e escutar os pedidos de cada uma delas. Mas aquela roupa, touca e barba o deixavam suado; ele tinha vontade de criar uma roupa de Papai Noel que fosse de manga curta, sem toca e com barba mais curta (ou mesmo sem barba falsa, pois a dele já era curta e branca). Uma coisa que ele desejou e era possível foi um bom banho frio. [Leia mais]

Europa e Oriente Médio estão a caminho da destruição

O historiador Walter Russell Mead notou recentemente que após a revolução dos anos 90 que levou ao colapso da União Soviética, os russos criaram um ditado particularmente apto no momento: “É mais fácil transformar um aquário em sopa de peixe do que transformar sopa de peixe em um aquário.” De fato, da Europa ao Oriente Médio, e talvez em breve até mesmo na Rússia e Ásia, muitos aquários estão virando sopa de peixe ao mesmo tempo. Mas transformá-los de volta em sociedades e comunidades estáveis será um dos maiores desafios de nosso tempo. Estamos novamente diante de um daqueles grandes desembaraços – assim como após a Primeira Guerra Mundial, a Segunda Guerra Mundial e a Guerra Fria. Mas desta vez não houve guerra. Todos esses Estados foram destruídos a partir de dentro – sem aviso. Por quê?

O principal motivador, eu acredito, é a fusão da globalização com a revolução da tecnologia da informação. Ambas atingiram massa crítica na primeira década do século 21, resultando na democratização – ao mesmo tempo – de muitas coisas contra as quais nem Estados fracos e nem empresas fracas podem enfrentar. Nós vimos a democratização da informação, onde todos agora são editores; a democratização das guerras, onde os indivíduos se tornaram superempoderados (o suficiente, no caso da Al Qaeda, para enfrentar uma superpotência); a democratização da inovação, onde novas empresas estão usando programas gratuitos de código fonte aberto e “a nuvem” para enfrentar empresas globais.

E, finalmente, vimos o que Mark Mykleby, um coronel reformado do Corpo dos Marines e ex-conselheiro do chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, chama de “democratização das expectativas” – a expectativa de que todos os indivíduos devem poder participar da moldagem de sua própria carreira, cidadania e futuro, sem restrições.

Chamou-me a atenção quão semelhantes são os comentários russos a respeito do primeiro-ministro Vladimir Putin, que basicamente renomeou a si mesmo presidente, com os que ouvi no Egito sobre Hosni Mubarak, que repetidas vezes se renomeava presidente. O escritor egípcio Alaa al Aswany me disse que os egípcios se ressentiram da ideia de que Mubarak pretendia transferir o poder para seu filho, Gamal, como se os egípcios “fossem galinhas”, que simplesmente podiam ser entregues por um líder para seu filho. No domingo passado, um artigo no New York Times, em Moscou, citou o popular blogueiro russo preso, Aleksei Navalny, como tendo dito: “Nós não somos gado e nem escravos. Nós temos vozes, votos e poder para sustentá-los.”

“Os dias de comunicação unidirecional por parte dos principais países e empresas acabaram”, diz Dov Seidman, presidente-executivo da LRN e autor do livro Como – Por Que o Como Fazer Algo Significa Tudo. “O velho sistema de ‘comando e controle’ – usando cenouras e porretes – para exercer poder sobre as pessoas está sendo rapidamente substituído pelo ‘conexão e colaboração’ – para geração de poder por meio das pessoas.” Os líderes e gerentes não podem simplesmente impor sua vontade, acrescenta Seidman. “Agora é preciso manter um diálogo bidirecional para se conectar profundamente com seus cidadãos, clientes ou funcionários.”

A Netflix promoveu uma conversa unidirecional a respeito do aumento de preços com seus clientes, que instantaneamente se auto-organizaram. Cerca de 800 mil abandonaram os serviços da empresa e suas ações despencaram. O Bank of America promoveu uma conversa unidirecional sobre cobrar uma taxa de US$ 5 sobre os cartões de débito e seus clientes forçaram o banco global a reverter a ideia e pedir desculpas. Putin achou que tinha poder sobre o povo e que podia impor qualquer coisa que desejasse, mas agora está sendo forçado a participar de uma conversa para justificar sua permanência no poder.

A Coca-Cola mudou a embalagem de seu refrigerante principal para latas brancas durante as Festas. Mas o protesto de “blasfêmia” por parte dos consumidores forçou a Coca-Cola a voltar para as latas vermelhas em uma semana. No ano passado, a Gap descartou seu novo logo após uma semana de protestos online dos consumidores.

Muitos presidentes-executivos dirão que essa mudança os pegou de surpresa e que estão tendo dificuldade para se ajustarem às novas relações de poder com clientes e funcionários.

“À medida que o poder se desloca para os indivíduos”, argumenta Seidman, “a própria liderança deve mudar com ele – de uma liderança coerciva ou motivacional que usa cenouras ou porretes para obter desempenho e fidelidade da população, para uma liderança que inspire compromisso, inovação e esperança nas pessoas.” O papel do líder agora é obter o que de melhor está vindo de baixo para cima e então mesclá-lo com a visão de cima. Você está ouvindo, Putin?

Esse tipo de liderança é especialmente chave hoje, acrescenta Seidmanm, “quando as pessoas estão criando muita ‘liberdade’ das coisas – liberdade da opressão ou de qualquer sistema que esteja em seu caminho – mas ainda não adaptaram os valores ou construíram as estruturas institucionais que permitem a ‘liberdade para’ – liberdade para construir uma carreira, um negócio ou uma vida significativa”.

É possível ver isso vividamente no Egito, onde o movimento democrático de baixo para cima foi forte o suficiente para derrubar Mubarak, mas agora enfrenta o processo árduo e longo de construção de novas instituições e redação do novo contrato social, a partir de uma coalizão democrática que abrange a Irmandade Muçulmana, os liberais cristãos, os liberais muçulmanos, o Exército e os muçulmanos salafistas ultraconservadores.

Recolocar todos esses peixes de volta no aquário, nadando juntos, não será tarefa fácil. É uma tarefa que exigirá um líder muito corajoso e especial. Procura-se ajuda.

Mulher é atacada por policiais egípcios durante manifestação

(UOL Notícias)

Nota: Como nunca antes na história, o coletivismo será a palavra de ordem. O bem da maioria será defendido com unhas e dentes, nas ruas, com ou sem apelação (como as manifestações envolvendo nudismo). As pessoas parecem fartas de autoritarismo e desigualdades – e não é pra menos. À primeira vista, esses ventos parecem favoráveis, mas o que dizer de algumas minorias discordantes? Elas não discordam necessariamente dos fins (liberdade, democracia, etc.), mas dos métodos e planos para se chegar a esses fins, já que poderão violar-lhes a consciência – especialmente a religiosa. O que acontecerá quando surgir uma “liderança que inspire compromisso, inovação e esperança nas pessoas”? Se a força não mais arrebanha o povo (ou o obriga a obedecer), o poder da informação e do convencimento fará isso. Mandará quem tiver esse poder. Quem será o tal líder “muito corajoso e especial”? Logo ele mostrará a cara.[MB]

Leia também: “O pior ainda pode estar por vir” e “Mundo arrisca repetição da depressão dos anos 30”

Mais: não vai longe o tempo em que teremos um pensamento hegemônico (confira)

Deus está no controle de tudo

Pr. João Batista batiza Wilson
Fazia 17 anos que eu orava todas as noites antes de dormir para que meu pai ex-pastor da Igreja Adventista voltasse para os caminhos de Jesus. Desde os meus 12 anos, quando meu pai se separou da minha mãe e se afastou da igreja, quase não tivemos mais contato. Quando eu era pequenina, meu pai sempre foi meu grande exemplo; sempre me estimulou a cantar, a ter o hábito da leitura e a escrever. Depois houve essa ruptura e perdemos o contato, porém, as lições da infância perduraram. Devido a toda essa situação, tive uma adolescência difícil, inclusive no aspecto econômico. Precisei lutar muito para conquistar o que pude. Pela graça de Deus, me formei no Unasp, em Pedagogia, e me tornei uma educadora, dando continuidade à obra de Deus.

Devido a todo esse contexto difícil e triste, eu poderia ser uma pessoa desequilibrada e não estar “inteira”, mas, pela graça de Deus que sempre esteve ao meu lado, fui vencendo cada obstáculo.

Chegou uma época em que pensei: “Será que Deus não atenderá meu pedido?” Afinal, parecia que meu pai estava cada vez mais e mais distante. Até pensei em parar de orar, mas nunca parei.

Neste ano, minha mãe me disse que meu pai tinha ido morar em Tatuí e, em minhas orações da noite, comecei a orar pedindo para que Deus colocasse anjos na vida dele, para cuidar dele e o acolher. Mas confesso que minha fé já estava bem pequena.

No inicio deste mês de dezembro, quando recebi uma ligação de Tatuí de uma amiga que não via fazia dez anos, fiquei surpresa e feliz – e mais feliz ainda quando ela me contou brevemente a história das “coincidências” promovidas por Deus (confira aqui) e que meu iria ser rebatizado!

No sábado 17 de dezembro, quando fui ao batismo dele na Igreja Adventista de Nova Tatuí, experimentei grande emoção. Minha família e eu pudemos sentir o toque de Deus; pude sentir Deus falando comigo: “Viu, filha, tudo tem seu tempo certo, basta confiar.”

Deus tem mil e uma maneiras de nos alcançar. Tenho certeza de que foi Deus que permitiu que muitas situações acontecessem e, assim, conduziu meu pai até Tatuí, onde havia a ocasião, o momento e as pessoas certas para alcançar o coração dele. Tenho certeza de que Deus atendeu minha oração e colocou verdadeiros anjos em forma de pessoas na vida do meu pai; e o amor dessas pessoas, no tempo certo, constrangeu o coração dele, uma pessoa muito racional.

No momento do batismo, ao ver meu pai dentro do tanque batismal, e quando ele pediu publicamente perdão como pai, para meu irmão e para mim, senti como se tivesse concluído um ciclo importante e necessário da minha vida. Foi como se as feridas abertas tivessem se fechado totalmente naquele momento, e pude finalmente respirar profundamente e pensar: “Acabou; eis que tudo se fez novo.”

Jesus está voltando...

(Rubia Salheb Fonseca)

Da esq. Para a dir.: José Rubens Fonseca (filho), Rubia Salheb Fonseca (filha), Wilson Fonseca, Kauã Lopes Fonseca (neto), pastor João Batista (distrital) e Rosa de Almeida Salheb (ex-esposa de Wilson)

terça-feira, dezembro 20, 2011

O verdadeiro sentido do Natal

“‘Aproxima-se o Natal’, é a frase que soa através do mundo, de Norte a Sul, de Leste a Oeste. Para os jovens, para as crianças, e mesmo para os de mais idade, esse é um período de alegria geral, de grande contentamento. Mas o que é o Natal, que assim exige tão grande atenção? [...] O dia 25 de dezembro é supostamente o dia do nascimento de Jesus Cristo, e sua comemoração tem se tornado costumeira e popular. Porém, não há certeza de que se esteja celebrando o verdadeiro dia do nascimento de nosso Salvador. A história não nos dá certeza absoluta disso. A Bíblia não nos informa a data precisa. Se o Senhor tivesse considerado esse conhecimento essencial para nossa salvação, teria Se pronunciado através de Seus profetas e apóstolos, para que pudéssemos saber tudo a respeito do assunto. Mas o silêncio da Bíblia sobre esse ponto nos mostra que ele nos foi ocultado por razões sábias.

“Em Sua sabedoria, o Senhor ocultou o lugar onde sepultou Moisés. Deus o sepultou, o ressuscitou e o levou para o Céu. Esse procedimento tinha o objetivo de prevenir a idolatria. Aquele contra quem os israelitas haviam se rebelado quando estava ativo, que haviam provocado quase além dos limites da resistência humana, era quase adorado como Deus depois de separado deles pela morte.

“Pela mesma razão é que Ele ocultou o dia preciso do nascimento de Cristo, para que o dia não recebesse a honra que deve ser dada a Cristo como Salvador do mundo. Ele é quem deve ser recebido, em quem se deve crer e confiar como Aquele que pode salvar perfeitamente todos os que vão a Ele. A adoração deve ser prestada a Jesus como o Filho do infinito Deus” (Review and Herald, 9 de dezembro de 1884).

O dia não deve ser passado por alto

“Sendo que o dia 25 de dezembro é lembrado em comemoração ao nascimento de Cristo, e sendo que as crianças têm aprendido por palavras e exemplo que esse é um dia de alegria e contentamento, será difícil passar por alto esse período sem lhe dar alguma atenção. Ele pode ser utilizado para um bom propósito.

“As crianças devem ser tratadas com muito cuidado. Não devem ser deixadas no Natal a buscar seus próprios divertimentos em prazeres vãos, em diversões que prejudicarão a espiritualidade. Os pais podem controlar essa questão voltando a mente e as ofertas dos filhos para Deus e a salvação de pessoas.

“O desejo de divertimentos não deve ser contido e arbitrariamente sufocado, mas guiado e dirigido por meio de paciente esforço da parte dos pais. O desejo de dar presentes deve ser bem conduzido para levar bênçãos ao próximo graças à manutenção do dinheiro na grande e ampla obra para a qual Cristo veio ao mundo. Altruísmo e espírito de sacrifício marcaram Sua conduta. Que isso também caracterize os que afirmam amar a Jesus, porque nEle está centralizada nossa esperança de vida eterna” (Review and Herald, 9 de dezembro de 1884).

Presentes como sinal de afeição

“As festas estão chegando rapidamente com sua troca de presentes. Jovens e idosos estão analisando intensamente o que poderão dar a seus amigos como sinal de afetuosa lembrança. É agradável receber um presente, mesmo simples, daqueles a quem amamos. É uma afirmação de que não fomos esquecidos, e parece ligar-nos a eles mais intimamente. [...]

“É certo concedermos a outros demonstrações de amor e carinho, se, ao fazer isso, não nos esquecemos de Deus, nosso melhor Amigo. Devemos dar nossos presentes de tal maneira que sejam um real benefício ao que recebe. Eu recomendaria determinados livros que fossem um auxílio na compreensão da Palavra de Deus ou que aumentem nosso amor por seus ensinos. Obtenham algo para ser lido durante esses longos serões de inverno” (Review and Herald, 26 de dezembro de 1882).

Livros como presentes

“Há muitos que não têm livros e publicações sobre a verdade bíblica para nossos dias. Aqui está um grande campo onde o dinheiro pode ser investido com segurança. Há muitas crianças que podem ser abençoadas com a leitura. Os livros The Sunshine Series, Golden Grains Series, Poems, Sabbath Readings, etc. são preciosos e podem ser introduzidos seguramente em cada família. As pequenas quantias gastas em doces e brinquedos sem valor podem ser acumuladas e com isso comprar esses volumes. [...]

“Os que desejarem dar presentes caros a seus filhos, netos e sobrinhos, procurem para eles os livros mencionados. Para os jovens, The Life of Joseph Bates é um tesouro; também os três volumes de Spirit of Prophecy. Esses volumes podem ser levados a cada família na Terra. Deus está dando a luz do Céu, e nenhuma família deve ficar sem ela. Que os seus presentes possam espalhar raios de luz sobre o caminho que conduz ao Céu” (Review and Herald, 11 de dezembro de 1879).

Jesus não deve ser esquecido

“Irmãos e irmãs, enquanto vocês planejam dar presentes uns aos outros, desejo lembrar-lhes de nosso Amigo celestial, para que não passem por alto a vontade dEle. Cristo Se agradará se mostrarmos que não O esquecemos. Jesus, o Príncipe da vida, deu tudo para nos trazer a salvação. [...] Ele sofreu mesmo até a morte, para que nos pudesse dar a vida eterna.

“É por meio de Cristo que recebemos todas as bênçãos. [...] Não deve nosso Benfeitor celestial participar das provas de nossa gratidão e amor? Venham, irmãos e irmãs, venham com seus filhos, com bebês em seus braços, e tragam ofertas a Deus, segundo suas possibilidades. Cantem ao Senhor em seu coração, e esteja em seus lábios o louvor divino” (Review and Herald, 26 de dezembro de 1882).

Natal: momento para honrar a Deus

“Pelo mundo, os feriados são passados em frivolidades e extravagância, gula e ostentação. [...] Milhares de dólares serão gastos de modo pior do que se fossem jogados fora, no próximo Natal e Ano Novo, em excessos desnecessários. Mas temos o privilégio de nos afastar dos costumes e práticas desta época corrompida. Em vez de gastar meios meramente na satisfação do apetite, ou com ornamentos desnecessários ou artigos de vestuário, podemos tornar as festividades vindouras uma ocasião para honrar e glorificar a Deus” (Review and Herald, 11 de dezembro de 1879).

“Cristo deve ser o objetivo supremo; mas, da maneira em que o Natal tem sido comemorado, a glória é desviada dEle para o ser humano mortal, cujo caráter pecaminoso e defeituoso tornou necessário que Ele viesse ao nosso mundo. Jesus, a Majestade celestial, o nobre Rei do Céu, pôs de lado Sua realeza, deixou Seu trono de glória, Sua alta posição, e veio ao nosso mundo para trazer o auxílio divino ao ser humano caído, debilitado na capacidade moral e corrompido pelo pecado. [...]

“Os pais devem falar sobre esses assuntos aos seus filhos e instruí-los sobre seus deveres para com Deus; não suas obrigações de uns para com os outros, de exaltarem-se e glorificarem-se uns aos outros por presentes” (Review and Herald, 9 de dezembro de 1884).

Levar os filhos a desenvolverem o altruísmo

“Há algo que pode ser planejado com gosto e muito menos gastos do que os desnecessários presentes tantas vezes oferecidos a nossos filhos e parentes, e ainda assim mostrar cortesia e levar felicidade ao lar.

“Vocês podem ensinar uma lição a seus filhos enquanto lhes explicam a razão por que fizeram uma mudança no valor dos presentes deles. Digam que vocês percebem que têm até então pensado mais no prazer deles do que na glória de Deus. Digam-lhes que têm pensado mais em seu próprio prazer e satisfação deles e em se manter em harmonia com os costumes e tradições do mundo, em dar presentes aos que não necessitam deles, do que em ajudar no progresso da missão dada por Deus.

“Como os magos do passado, vocês podem oferecer a Deus seus melhores presentes e mostrar por suas ofertas a Ele que apreciam o Presente dado por Ele a um mundo pecaminoso. Levem os pensamentos de seus filhos ao longo de um caminho novo, altruísta, motivando-os a apresentar ofertas a Deus pela dádiva de Seu único Filho” (Review and Herald, 13 de novembro de 1894).

Devemos armar uma árvore de Natal?

“Deus Se alegraria muito se, no Natal, cada igreja tivesse uma árvore de Natal sobre a qual pendurar ofertas, grandes e pequenas, para esses locais de adoração. Têm chegado a nós cartas com a pergunta: ‘Devemos ter árvores de Natal? Não seria isso imitar o mundo?’ Respondemos: Vocês podem fazer isso à semelhança do mundo, se escolherem isso. Mas podem fazê-lo de modo muito diferente. Não é pecado selecionar um pinheiro e pô-lo em nossas igrejas, mas o pecado está no motivo que induz à ação e no uso que é feito dos presentes postos na árvore.

“A árvore pode ser tão alta e seus ramos tão vastos quanto a ocasião exigir. Mas os galhos dela devem estar carregados com o fruto de ouro e prata da bondade de vocês, e apresentem isso a Deus como seu presente de Natal. Que suas doações sejam santificadas pela oração” (Review and Herald, 11 de dezembro de 1879).

“As festividades de Natal e Ano-Novo podem e devem ser celebradas em favor dos necessitados. Deus é glorificado quando ajudamos os necessitados que têm família grande para sustentar” (Manuscrito 13, 1896).

Árvore de Natal com ofertas missionárias

“Os pais não devem pensar que uma árvore de Natal posta na igreja para alegrar os alunos da Escola Sabatina seja pecado, pois pode ela ser uma grande bênção. Falem às crianças sobre bondade e generosidade. O mero divertimento não deve ser o objetivo dessas reuniões. Embora possa haver alguns que transformarão essas reuniões em momentos de frivolidade, e cuja mente ainda não foi tocada por Deus, para outros essas reuniões trarão grande bem.

“Tenho certeza de que pode haver substitutos sadios para muitas reuniões que, de outra forma, seriam impróprias” (Review and Herald, 9 de dezembro de 1884).

Providenciar recreação sadia

“Levantem-se, meus irmãos e irmãs cristãos, busquem conhecer a vontade do Senhor, procurem tratar desse assunto de tal maneira que não seja árido e desinteressante, mas repleto de inocente prazer que tenha a aprovação do Céu. Eu sei que os mais pobres aceitarão essas sugestões. Os mais ricos também devem mostrar interesse e apresentar seus donativos e ofertas proporcionalmente aos meios que Deus lhes concedeu. Que se registre nos livros do Céu um Natal como jamais houve, por causa dos donativos que forem dados para o sustento da obra de Deus e o restabelecimento de Seu reino” (Review and Herald, 9 de dezembro de 1884).

(Ellen G. White, O Lar Adventista, p. 477-483; linguagem atualizada por Matheus Cardoso)

Leia também: "O primeiro Natal da minha nova vida", "O sentido do Natal" e "Um Natal especial"

Livro narra tédio de jovens sem internet

A americana radicada na Austrália Susan Maushart, uma solitária mãe solteira na menopausa, achou uma boa maneira de ser odiada pelos seus três filhos: proibiu o acesso da família a computadores e celulares por seis meses. Seu livro sobre a jornada foi publicado recentemente no Brasil, pela editora Paz e Terra (R$ 40). Entediados, os adolescentes começaram a conversar mais com ela. A conta de telefone disparou. Sem seus iPods, o trio começou a brigar feio pelo controle do aparelho de rádio. O desempenho escolar dos três melhorou. Acostumada a ficar sozinha lendo no sofá, Susan se surpreendeu quando Anni, 18, se uniu a ela. [...] Bill, 15, trocou o Facebook pelo saxofone. Pensar em “como ele seria um músico incrível” se tivesse utilizado as horas na internet para treinar “foi um dos testes mais difíceis que já tive como mãe”, diz Susan.

Rodrigo Souza, 18, fez algo parecido ao tentar se desligar das redes sociais, particularmente do Facebook, conforme o vestibular deste ano se aproximava. Conseguiu ficar duas semanas longe do site.

“Entrar no Facebook era automático, eu abria o navegador e começava a digitar o endereço... Aí me tocava e ia para o Guia do Estudante”, diz, rindo. “Às vezes ficava angustiado, querendo compartilhar algum link. Até usei o e-mail para isso uma vez. E-mail é tão retrô, né?”

(Folha.com)

segunda-feira, dezembro 19, 2011

Usando a arte para anunciar esperança

Ana Ferreira é artista plástica pela Universidade Federal da Bahia e membro da Igreja Adventista de Vale dos Lagos, em Salvador. Ela organizou uma exposição de pintura intitulada “Sinais de Esperança”, na qual aborda os sinais da volta de Jesus a partir das imagens jornalísticas que circularam recentemente nos noticiários do mundo. São 12 obras em tamanho variado, entre 80 x 80 cm e 100 x 100 cm, contemporâneas, com grande influência expressionista e retratações marcantes. A exposição terá a 3ª edição aberta no dia 20 de dezembro, na Galeria e Livraria Espaço Unibanco – Glauber Rocha, em Salvador, e estará lá até o dia 4 de janeiro de 2012, com entrega gratuita de livros A Grande Esperança.

A 1ª edição foi realizada no Salão Nobre da Escola de Belas Artes, no período de 6 a 12 de dezembro, e foram distribuídos cerca de 250 livros Ainda Existe Esperança e a revista Viva com Esperança. A exposição contou com a divulgação da Rádio Novo Tempo de Salvador Acontece e teve repercussão na mídia local.

A 2ª edição teve lugar na Assembleia Legislativa (Centro Administrativo da Bahia), no período de 12 a 16 de dezembro, e foram distribuídos cerca de 300 livros Ainda Existe Esperança, Viva com Esperança e A Grande Esperança. Dessa vez, a exposição e as obras de Ana Ferreira ganharam destaque no Diário Oficial, na TV Assembleia, no Blog do deputado Dr. Deraldo Damasceno, entre outros.

Na 3ª edição, no Espaço Cultural Unibanco, o plano de Ana é distribuir outros 300 livros A Grande Esperança.

Esse é mais um exemplo de como é possível usar os talentos, a profissão e a influência para levar a esperança da volta de Jesus às pessoas. Parabéns, Ana!

Ingleses têm plano para retirar britânicos de Portugal

O Governo inglês tem um plano de contingência para retirar os seus nacionais de Portugal e Espanha de aviões, barcos e automóveis se o euro colapsar, noticia hoje a imprensa britânica. “Crise na zona euro: Relações Exteriores tem plano de retirada de expatriados” é a manchete do jornal The Daily Telegraph. O jornal afirma que os britânicos que vivem em Espanha e em Portugal “podem ter ajuda do Governo para deixarem os países se a crise na zona euro arrastar os seus bancos” e eles deixarem de “ter acesso às suas contas bancárias”. Segundo o jornal, vivem na Espanha cerca de um milhão de britânicos e 55 mil em Portugal. Ao jornal Sunday Times, o Ministério das Finanças confirmou os planos, mas recusou-se a dar mais detalhes. O Ministério das Relações Exteriores disse ao diário que está se preparando para um “cenário de pesadelo”, com milhares de britânicos sem dinheiro dormindo nos aeroportos e sem meios para chegar em casa.

(DN Globo)

Leia também: “Alunos desmaiam na escola com fome, na Grécia” e “Crise europeia é um risco para todas as economias do mundo, diz FMI”

sábado, dezembro 17, 2011

Isaac & Charles: astrobiologia

[Clique na tirinha para vê-la ampliada.] A astrobiologia é a única área científica que não precisa de sujeito de pesquisa – por enquanto, ele é só imaginário. Não existem evidências concretas da existência de seres (inteligentes ou não) fora da Terra. No entanto, gastam-se consideráveis somas de dinheiro e tempo nessa linha de pesquisa. Ironicamente, quando alguns cientistas propõem que basta observar a complexidade da vida “debaixo de nosso nariz” para perceber que há, de fato, evidências de inteligência planejadora na criação, os naturalistas fazem careta e dizem que isso não é ciência, é “religião”. Vai entender essa parcialidade toda...

sexta-feira, dezembro 16, 2011

Tempestades solares erodem a Lua

Tempestades solares violentas podem soprar grande quantidade de material da superfície da Lua. Em um novo estudo da NASA, pesquisadores usaram simulações digitais para examinar como os eventos solares podem erodir a superfície do nosso satélite. Foi descoberto que eles podem até causar danos na atmosfera de Marte, já que o planeta não possui campo magnético. Essa é a primeira vez que cientistas tentam prever os efeitos das tempestades solares e erupções na Lua. “Descobrimos que quando essa nuvem massiva de plasma atinge a lua, remove facilmente material volátil da superfície”, afirma William Farrell, um dos envolvidos na pesquisa. “O modelo prevê 100 a 200 toneladas de material lunar – o equivalente a dez caminhões-caçamba lotados – arremessados durante uma típica passagem de dois dias desse evento.”

As tempestades solares são nuvens enormes de plasma quente e partículas carregadas que avançam pelo espaço. De acordo com os pesquisadores, uma dessas, que seja forte, pode conter facilmente bilhões de toneladas de plasma, viajando a incríveis 1,6 milhão de quilômetros por hora, com o tamanho maior do que várias vezes a Terra. Já que a Lua não tem atmosfera, o satélite fica vulnerável aos efeitos meteorológicos espaciais. Como resultado, a tempestade chega até ela, causando um processo conhecido como “crepitação”.

“A crepitação está entre os cinco principais processos que criam a exosfera lunar sob condições solares normais. Mas nosso modelo prevê que, durante uma tempestade, ele acaba virando o principal, com 50 vezes mais predominância do que os outros”, comenta Rosemary Killen, a líder do estudo.

Os ventos solares comuns são formados principalmente por partículas de hidrogênio carregadas, os íons. Mas o plasma das tempestades é altamente elétrico, com íons pesados, que provocam efeitos dez vezes mais fortes. [...]

Cientistas já haviam estudado o efeito das tempestades do Sol no campo eletromagnético da Terra, e sabemos que com isso ocorrem auroras intensas em nosso planeta. Mas, de acordo com os pesquisadores, em planetas como Marte, que não tem a mesma proteção, o plasma solar pode arranhar e erodir a atmosfera superior.

A NASA planeja lançar a missão Evolução Volátil e Atmosférica de Marte (MAVEN) no fim de 2013. A nave foi desenhada para orbitar o planeta e estudar como a atividade solar, incluindo as tempestades, remove a atmosfera do planeta vermelho.

Dos modelos realizados, os pesquisadores também preveem que pequenos corpos, como os asteroides, também são vulneráveis ao processo de crepitação.

(Hypescience)

Nota: Fiquei pensando cá com meus botões: se o sistema solar tem mesmo os bilhões de anos a ele atribuídos, será que nosso planeta, bombardeado pelo Sol durante tanto tempo (mesmo que fosse por “apenas” alguns milhões de anos), ainda teria atmosfera? E a Lua, tendo sofrido a ação de milhões de explosões solares, não teria sido grandemente erodida, ficando, pelo menos, sem qualquer vestígio de poeira como a que se vê por lá? O mesmo pensamento pode mais ou menos se aplicar à erosão dos cometas que passeiam perto do Sol. Além disso, conforme informa o físico Adauto Lourenço, em seu livro Como Tudo Começou (Editora Fiel, 2007, p. 185), medições feitas por mais de 140 anos dão conta de que o campo magnético terrestre perdeu, nesse intervalo de tempo, cerca de 15% de sua intensidade. Se extrapolarmos esse enfraquecimento para o passado (acima de algumas dezenas de milhares de anos), teríamos um planeta inóspito, desprotegido e incapaz de abrigar vida, como Marte.[MB]

Leia também: “Hidroxila em rocha desafia teoria da formação da Lua”

Pessoas confiam mais em cristãos do que em ateus

Pesquisa realizada em novembro pela Universidade de British Columbia, no Canadá, e pela Universidade de Oregon, nos Estados Unidos, concluiu que as pessoas em geral tendem a confiar mais nos cristãos do que nos ateus, gerando certo preconceito para com os cidadãos que não acreditam em Deus. Para isso, fez-se uma simples pesquisa com mais de 300 americanos de idades entre 18 e 82 anos. Os autores apresentavam aos participantes alguns tipos sociais, como ateus e homossexuais, e colhiam alguns dados que resumiam sentimentos e pensamentos relacionados a esses tipos, como nível de confiança e nível de aversão. O estudo descobriu que os entrevistados não tinham problemas relacionados a pessoas em geral – o que demonstra que eram voluntários normalmente sociáveis –, mas tinham menos empatia por homossexuais e ainda menos por ateus – mostrando haver preconceito contra ambas as condições.

O preconceito contra ateus estava mais relacionado a uma falta de confiança nessas pessoas – os participantes relataram que não achavam os ateus confiáveis. Já em relação ao preconceito contra gays, foi notado entre os entrevistados um grau de revolta com o comportamento em público das pessoas com essa opção sexual.

(Galileu)

Nota: Esse tipo de impressão da população em geral é tão injusto (afinal, ateus, como quaisquer outras pessoas, podem ser honestos, corretos, gente de bem) quanto a visão que se tem dos cristãos que procuram seguir as orientações bíblicas e que, por isso, são considerados “fundamentalistas”. Preconceito nunca é bom, não importa quem esteja na mira dele.[MB]

Hitchens, autor de Deus Não é Grande, morre aos 62

O escritor e jornalista britânico Christopher Hitchens, autor do célebre livro Deus Não é Grande, morreu em Houston (EUA) vítima de um câncer no esôfago, informa em sua edição digital a revista Vanity Fair. Nascido em 1949 em Portsmouth (Reino Unido), Hitchens morreu na noite de quinta-feira (15) no hospital MD Anderson Cancer Center, em Houston, da mesma doença que levou seu pai. A detecção da doença aconteceu quando o escritor promovia sua última obra, as memórias intituladas Hitch-22. Considerado um dos intelectuais mais polêmicos e influentes do cenário internacional nos últimos 30 anos, Hitchens se mudou para os Estados Unidos em 1981 e colaborou com as publicações mais prestigiadas nos dois lados do Atlântico: Vanity Fair, Slate, The Nation, The New York Review of Books, The Times e National Geographic, entre outras. Além de Deus Não é Grande, Hitchens também escreveu Cartas a um Jovem Contestador, A Vitória de Orwell, O Julgamento de Kissinger e Amor, Pobreza e Guerra.

(G1 Notícias)

Leia outras postagens relacionadas com Hitchens: “Christopher Hitchens está com câncer”, “Resposta bem dada ao ateu Christopher Hitchens”, “Os fogos da nova ‘Inquisição’”, “A fé atrasa o mundo?”, “Livros sobre ateísmo têm mais divulgação no Brasil” e “O cristianismo é bom para o mundo?”

Leia ainda: "'O ateísmo é anormalidade', diz Chesterton"

quinta-feira, dezembro 15, 2011

Explosão de supernova dá pistas sobre “formação da vida”

A explosão de uma estrela supernova em uma galáxia a 21 milhões de anos-luz deu a cientistas um raro vislumbre de como a explosão de estrelas pode gerar vida no universo. Astrônomos capturaram as imagens da explosão da supernova SN2011fe, na galáxia Cata-vento, na constelação de Ursa Maior, apenas 11 horas depois do evento. Três telescópios poderosos localizados na Terra e o telescópio espacial da Nasa, o Swift, foram usados para estudar a explosão e os resultados da observação mostraram com detalhes nunca vistos antes como elementos mais pesados - como oxigênio e ferro - foram atirados para fora da bola de fogo em expansão resultante da explosão. Com o tempo esses elementos vão se transformar nos blocos de construção de novos sistemas solares e, possivelmente, de seus habitantes vivos.

“A compreensão de como essas explosões gigantes criam e misturam materiais é importante, pois é das supernovas que pegamos a maioria dos elementos que formam a Terra e até nossos corpos, por exemplo, estas supernovas são uma grande fonte de ferro”, explicou Mark Sullivan, da Universidade de Oxford, que participou da pesquisa. “Então somos todos feitos de pedaços de estrelas que explodiram”, acrescentou. [...]

(G1 Notícias)

Nota: Releia o título desta postagem. Apenas as aspas são minhas. Agora releia o primeiro parágrafo. A explosão da supernova gerou elementos pesados como oxigênio e ferro. Só isso. Mas, dado tempo suficiente, esses elementos inorgânicos oriundos de uma explosão caótica vão se organizar (o que vai contra as leis da física) para “formar” vida, o que significa originar a tremenda quantidade de informação complexa necessária para haver vida; gerar sistemas de complexidade irredutível; gerar máquinas moleculares e órgãos complexos; possibilitar que os seres complexos resultantes dessas transformações aleatórias filtradas pela seleção natural sejam capazes de se reproduzir e povoar um planeta; e, por fim, dar-lhes consciência e um cérebro capaz de elaborar elucubrações como essas. Depois os naturalistas dizem que quem tem fé são os teístas![MB]

Leia também: "Astrônomos encontram estrela que não deveria existir" e "Estudo questiona teoria sobre evolução das estrelas"

Catástrofes provocaram perdas recordes em 2011

Centro de Gerenciamento de Desastres, em Minamisanriku: símbolo da devastação provocada pelo tsunami de 11 de março no Japão

As catástrofes naturais ou de origem humana provocaram perdas de 350 bilhões de dólares em 2011, um valor recorde, segundo um estudo publicado nesta quinta-feira pela empresa de resseguros Swiss Re. Com as catástrofes, as seguradoras terão de desembolsar 108 bilhões de dólares em 2011, um valor 2,25 superior ao de 2010, que foi de 48 bilhões de dólares, destaca o relatório da Swiss Re, que explica tratar-se de uma estimativa preliminar. O terremoto seguido de tsunami no Japão, em março, foi a principal catástrofe do ano. Nos 11 primeiros meses do ano, quase 30 mil pessoas morreram nas catástrofes, a maioria delas no Japão. Para o economista chefe da Swiss Re, Kurt Karl, 2011 “permanecerá na memória como um ano marcado por trágicos terremotos, de consequências muito caras”. [...]

(Veja)

Nota: Em termos de catástrofes “naturais”, 2010 já havia sido pior que 2009. É recorde atrás de recorde. Só não vê quem não quer. E 2012 vem aí... Vem logo, Senhor Jesus![MB]

Super-heroínas fazem exame de câncer de mama

As super-heroínas dos quadrinhos também entraram na campanha contra o câncer de mama. A Mulher-Maravilha, Mulher-Gato, Tempestade e a Mulher-Hulk foram “fotografadas” fazendo o autoexame. As imagens são da nova campanha da Associação da Luta Contra o Câncer (ALCC) em Moçambique. “Ninguém é imune ao câncer de mama. Quando falamos sobre câncer de mama, não existe diferença entre mulheres e supermulheres. Todas devem fazer o autoexame mensalmente. Lute com a gente contra esse inimigo e, quando ficar em dúvida, fale com o seu médico”, diz o pequeno texto que acompanha a imagem. A Mulher Invisível é única que ainda não foi vista aderindo à causa. (F5)

quarta-feira, dezembro 14, 2011

Isaac & Charles: algo não pode vir do nada


“Newton encontrou seu derradeiro lugar de descanso entre os mais honrados da Inglaterra, sendo sepultado na reverenciada Abadia de Westminster. Paradoxalmente, cerca de 150 anos depois, Charles Darwin, cujas ideias sobre Deus eram bem diferentes das de Newton, foi sepultado no mesmo local, a poucos metros de distância onde jaz Newton. Quando visitei os túmulos desses dois ícones do mundo científico, não pude deixar de meditar sobre o legado contrastante sobre Deus que ambos deixaram à humanidade. [...]

“Para Newton, Deus não era um conceito qualquer. Ele tinha uma profunda reverência por Deus e comentou que ‘este Ser governa todas as coisas, não como a alma do mundo, mas como Senhor sobre tudo’. Em seguida, acrescentou: 'O Deus supremo é um Ser eterno, infinito e absolutamente perfeito.' Para ele, 'Deus era também um ser muito pessoal que nos ama e a quem deveríamos amar e respeitar. Um tom de sinceridade irradia de suas palavras ao dizer que 'devemos crer que existe um único Deus ou Monarca supremo a quem possamos temer e obedecer, guardando Suas leis e dando-Lhe honra e glória. Devemos crer que Ele é o Pai por meio de quem todas as coisas existem, e que ama Seu povo como Seus filhos de maneira que eles O amem em reciprocidade e Lhe obedeçam como Pai'.

“Isaac Newton, provavelmente mais do que qualquer outra pessoa, ajudou a estabelecer a ciência sobre um sólido fundamento. Isso foi possível ao ele aplicar padrões muito rigorosos em suas pesquisas e publicações. Para alguns, pode parecer contraditório que um dos cientistas mais ilustres que o mundo já conheceu fosse profundamente religioso. Mas a vida de Newton ilustra claramente como a excelência científica e uma firme fé em ¬Deus podem andar de mãos dadas.”

(Ariel Roth, A Ciência Descobre Deus, p. 22, 23)

Estudantes inglesas recorrem à prostituição

O número de estudantes da Inglaterra que recorrem à prostituição para financiar seus estudos está aumentando, segundo dados divulgados pela União Nacional de Estudantes britânica (NUS, na sigla em inglês). De acordo com a organização estudantil, cortes promovidos pelo governo na ajuda de custo oferecida para estudantes do ensino universitário e o aumento dos preços de anuidades e do custo de vida no país vem contribuindo para a atual situação. A NUS afirmou ainda que também está em ascensão o número de estudantes que está investindo em jogatina e experimentos médicos para ajudar a pagar os estudos. Mas o governo diz que ainda oferece aos alunos um “generoso pacote” de auxílio financeiro. [...]

A Associação Inglesa de Prostitutas, que conta com um telefone de auxílio em sua sede, em Londres, afirmou que o número de chamadas recebidas por alunas pelo menos dobrou desde o ano passado. De acordo com Sarah Walker, [...] “eles (os ministros) sabem que os cortes que estão promovendo estão levando mulheres a recorrer a coisas como a indústria do sexo. É uma estratégia de sobrevivência. Por isso, nós consideramos o governo responsável por essa situação”.

Não são apenas universitárias que estão se voltando para a indústria do sexo para pagar por seus estudos. A jovem de 18 anos Clare (nome fictício) se voltou para a prostituição quando estava se preparando para seus exames classificatórios para a universidade. Na época, ela descobriu que a ajuda de custo educacional que recebia corria o risco de ser cortada.

“Eu não poderia ir para a universidade sem a ajuda de custo. Eu gasto com transporte um total de 70 libras por mês (cerca de R$ 200). Não tinha a quem recorrer na universidade e não queria ter de contar com a minha família. Comecei a procurar empregos, mas os horários eram incompatíveis. Muitas amigas começaram a procurar empregos e acabaram largando os estudos. Eu não queria fazer o mesmo”, afirma. “Eu tinha um amigo [que amigo!] que vinha tentando me convencer a entrar para uma agência de garotas de programa desde que eu tinha 16. Ele me contava histórias sobre o quanto eu poderia ganhar, como os horários seriam flexíveis, que eu poderia escolher quem eu gostaria de encontrar, assim que os visse e com que frequência. Parecia uma opção melhor. Eu não conseguia ver nenhuma outra.” [...]

(BBC Brasil)

Nota: Essa situação no mínimo deplorável e triste certamente decorre da tremenda inversão de valores em nossa sociedade. O que é mais importante para as pessoas? A dignidade ou a carreira? A honra ou a conta bancária? Enquanto alguns estudantes abrem mão de uma carreira promissora ou da formatura em tempo normal para serem fieis à lei de Deus (confira), outros vendem o corpo para pagar as mensalidades do colégio. O que essas estudantes inglesas (e certamente de outros países) estão fazendo revela a que ponto a humanidade tem chegado em sua relativização dos valores que (ainda que a trancos e barrancos) ajudaram a preservar a vida em sociedade. Quando os valores são jogados na lixeira para se obter ganhos temporais, o que podemos esperar do futuro? O que mais essas pessoas poderão vender quando não puderem comprar aquilo que tanto valorizam?[MB]

Leia também: "Jovem norte-americana leiloa virgindade", "Estudante neozelandesa leiloa virgindade na internet", "Mais uma jovem leiloa a virgindade", "Por dinheiro, donas de casa viram strippers virtuais" e "20% dos empregados dormiriam com o chefe"

virgindade à venda, donas de casa tele-sexo

Isaac & Charles: partícula de Deus

O amigo Joêzer e eu temos o prazer de lhe apresentar nossos novos personagens Isaac e Charles. Nessa tirinha, eles discutirão temas relacionados à ciência e ao comportamento humano, sempre com muito bom humor. Clique na imagem acima para vê-la ampliada. Se quiser ajudar a divulgar a tirinha, utilize o banner abaixo.

terça-feira, dezembro 13, 2011

E-mails que nos alegram (34)

“Olá, Michelson, bom dia. Há muito tempo acompanho seu trabalho através de seus blogs, palestras em vídeo e PowerPoints, Twitter, livros, etc. Admiro muito sua capacidade de comunicação e a forma como defende o criacionismo. Sou professor em duas faculdades aqui do interior do estado de São Paulo e tenho contato com muitos intelectuais, em sua maioria evolucionistas. Seus livros e materiais têm me ajudado muito a expor minha fé num Deus Criador e Redentor, com argumentos racionais e contundentes. Um grande abraço!”

(Tiago Sartorelli Prato, mestre em Engenharia e Ciência de Alimentos pela Unesp)

Consumo de álcool favorece sexo sem proteção

A relação entre o consumo de álcool e o sexo sem proteção é bastante conhecida. Várias pesquisas já demonstraram que quanto maior a quantidade de bebida ingerida, mais chances existem de praticar o comportamento de risco. Mas ainda havia dúvidas sobre essa relação de causa e efeito. Os pesquisadores não sabiam se traços de personalidade, como a busca por prazer ou uma pré-disposição para comportamentos de risco, levavam tanto ao consumo de álcool quanto ao sexo sem proteção. Segundo um estudo que será publicado na edição de janeiro do periódico Addiction, o principal do mundo no que se refere a estudos sobre dependência química, a dúvida acabou: é o consumo de álcool que leva ao sexo desprotegido.

Os pesquisadores reuniram os resultados de 12 testes que mediram a relação causa e efeito entre consumo de álcool e sexo sem proteção. O resultado encontrado foi que o álcool afeta a tomada de decisões. Quanto mais álcool os participantes dos testes consumiam, maior era a vontade de fazer sexo sem proteção.

Os participantes foram divididos em dois grupos formados aleatoriamente: um consumia álcool, o outro não. Depois disso, foi medida a intenção de ter relações sem proteção. O aumento do nível de álcool no sangue de 0,1 miligramas por mililitro tinha como consequência um acréscimo de 5% na propensão de ter sexo desprotegido.

A importância da descoberta é grande. Pode servir para que sejam encontradas novas alternativas para prevenir esse tipo de comportamento de risco. Em países do primeiro mundo, mas também no Brasil, a incidência de doenças transmitidas sexualmente, como a Aids, mantém-se estável — em alguns casos até cresce. Por isso é importante descobrir meios de inibir condutas que levem ao aumento da transmissão das doenças sexualmente transmissíveis.

“Este estudo ajuda a explicar por que as pessoas adotam esse tipo de comportamento, mesmo sabendo dos risco: o álcool influencia o processo de decisão”, afirma J. Rehm, do Centro de Dependência e Saúde Mental do Canadá, coordenador do estudo. “De hoje em diante, os programas de prevenção de aids devem levar em conta os resultados deste estudo.”

(Veja)

Nota: O que se pode esperar de uma sociedade que glamourisa o consumo de álcool e estimula o sexo sem compromisso? Essa pesquisa constata o óbvio e deixa mais uma vez evidente que o estilo de vida preconizado pela Bíblia (para o qual fomos criados) é o mais seguro e capaz de trazer felicidade: nada de bebida alcoólica e fidelidade conjugal como contexto apropriado para o sexo verdadeiramente seguro. Qualquer um é livre para viver de modo diferente disso, mas deve arrostar as consequências dessa escolha.[MB]

Silvio Santos é a pessoa mais admirada pelos brasileiros

Uma pesquisa feita pela UK’s Future Poll encomentada pela Diageo, empresa que produz o uísque Johnnie Walker, listou as personalidades mais admiradas pelos brasileiros. No topo do ranking está o apresentador e empresário Silvio Santos, que recentemente foi cotado para se tornar o garoto-propaganda da cerveja Devassa. Bill Gates, considerado pela revista Forbes o homem mais rico dos Estados Unidos, é a segunda pessoa mais admirada. Em terceiro lugar está o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Lula é seguido por Angelina Jolie, atriz eleita recentemente a mulher mais elegante do mundo e que, neste mês, teve sua estreia como diretora e roteirista de um longa sobre a Bósnia. Jesus Cristo é o quinto colocado na lista.

Também fazem parte do ranking Ayrton Senna, que conquistou o sétimo lugar, e os jogadores de futebol Ronaldo e Pelé - em oitava e décima posição, respectivamente.

A pesquisa foi divulgada hoje no site da revista Forbes e aponta que, para 68% dos entrevistados, o sucesso não está diretamente ligado ao acúmulo de riqueza.

(Exame)

segunda-feira, dezembro 12, 2011

Semelhança genética e ancestralidade

Como você explica, sob uma perspectiva criacionista, a existência de exatamente 20-25 mil genes (codificadores de proteínas) em todos os seres vivos do planeta? O fato é que, embora os organismos vivos tenham genomas de tamanhos diferentes, todos eles apresentam sempre a mesma quantidade de genes codificadores de proteínas. Tanto eu quando um verme cilíndrico temos 20 mil genes, embora sejamos organismos completamente diferentes e evidentemente com complexidades diferentes. É claro que ainda não sabemos exatamente como o genoma é lido e interpretado e gera a diversidade e complexidade que podemos observar nos seres vivos, porém, o fato da existência da mesma quantidade de genes codificadores de proteínas, além de outros detalhes genéticos, é um forte argumento que apoia a teoria da evolução darwiniana, nos levando à conclusão de que todos os organismos vivos do planeta tiveram um ancestral comum. Não é isso? – J. [Leia mais]

Descoberto crânio de tigre mais antigo

A pesquisa mostrou que os tigres não mudaram em mais de dois milhões de anos [segundo a cronologia evolucionista], apenas ficaram maiores. O crânio foi encontrado no noroeste da China, datado com 2,55 milhões de anos. É considerado o mais antigo já encontrado, pertencente ao grupo dos grandes felinos que conhecemos hoje. Os especialistas afirmam que apenas alguns detalhes como, por exemplo, os dentes em tamanho maior, diferencia o crânio dos felinos atuais, mas a estrutura em si é praticamente a mesma, mostrando que em milhões de anos os grandes felinos não sofreram grandes evoluções, apenas ficaram maiores. Os cientistas compararam o crânio encontrado com 207 crânios de tigre, 66 crânios de onças e 100 crânios de leopardos. As pesquisas demonstraram que o felino pertence a uma linhagem muito antiga de tigre, talvez os primeiros existentes. Eles eram menores que os tigres atuais, e precisou evoluir [sic] em seu tamanho para buscar presas maiores.

Esse achado paleontológico é de vital importância, desencadeando novas pesquisas importantes sobre a compreensão da evolução dos felinos e a relação deles com o meio ambiente ao longo dos milhões de anos [idem].

(Jornal Ciência)

Os exterminadores do futuro

“Em nome das palavras de ordem ‘preservar o meio ambiente ou ‘acabar com a poluição’ está ocorrendo a maior rendição da liberdade em toda a história da humanidade. Transferirá o poder e os recursos naturais não ‘ao povo’ ou a algum ‘corpo eleitoral’ , mas a um ‘pequeno grupo de homens’: a elite do establishment. As implicações de tal transferência de poder são incalculáveis” (Larry H. Abraham, The Greening: The Environmentalists Drive for Global Power).

No curso de suas investigações, Larry Abraham chegou à conclusão de “que todos os projetos submetidos aos seus estudos foram apresentados ao público como ‘necessários’ ou ‘vitais’. Alguns ainda o foram como ‘salva-vidas’ ou ‘ameaçadores à vida humana’. E, diz ele, “certamente em todas estas ‘cruzadas’ encontrei dois elementos constantes: (1) um grão de verdade a respeito das preocupações, e (2) uma minoria muito bem organizada que ajudava a criar a aparência de apoio popular”. [...]

Se a causa humana do aquecimento global e da destruição da natureza fosse meramente uma ideia sem sentido, uma simples fraude, já seria muito ruim. Mas é muito mais do que isso, pois a redução de emissões de carbono e da produção de energia está provocando danos inimagináveis à prosperidade da maioria em favor de uma minoria. Além disso, baseiam-se numa espécie de religião pagã e ateísta. O escritor e antropólogo Michael Crichton define o ambientalismo como “uma das mais poderosas religiões do Ocidente, a religião escolhida pelos ateístas urbanos”. Essa pseudorreligião está baseada nos velhos mitos de Gaia, a mãe Terra, que teria nos gerado. Todas as causas estão interligadas para induzir a humanidade a retroceder a meios primitivos e selvagens de existência. Daí o falso interesse pelos índios. [...]

(Mídia Sem Máscara)

sábado, dezembro 10, 2011

Newsweek: a epidemia do vício sexual

A revista Newsweek de 5 de dezembro de 2011 traz como matéria de capa o tema “The sex addiction epidemic” [A epidemia do vício em sexo]. O subtítulo da reportagem informa que “o vício em sexo destrói casamentos e carreiras e abala a autoestima”. Segundo o texto, o comportamento sexual compulsivo, também chamado de desordem hypersexual, pode sistematicamente destruir a vida da pessoa tanto quanto o vício em álcool ou drogas. E esse problema está afetando um número crescente de pessoas. Steven Luff, coator do livro Olhos Puros: um Guia Para a Integridade Sexual Masculina [em tradução livre], considera o vício sexual uma “epidemia nacional”, referindo-se aos Estados Unidos. E é diferente no resto do mundo? O que dizer de campanhas pelo dito sexo seguro que somente se preocupam com a disseminação de doenças (DST) e a gravidez não desejada? O governo brasileiro é especialista nisso...

Ainda segundo a matéria, em boa parte essa “epidemia” se deve à revolução digital. Enquanto as gerações passadas tinham que correr o rico de embaraço público nas livrarias, bancas de jornal e seções de vídeos pornográficos nas locadoras, a internet tornou a pornografia acessível, livre e anônima. E milhões de pessoas diariamente acessam sites que disponibilizam esse tipo de material. “Nem todos os que olham uma imagem de pessoas nuas vão se tornar viciados em sexo. Mas a exposição constante vai acionar o gatilho para as pessoas que são suscetíveis”, diz o Dr. David Sack, chefe-executivo do Los Angeles’s Promises Treatment Centers.

Quando li essa reportagem, me lembrei de alguns textos/conselhos importantes de Ellen G. White, escritos há um século, mas que hoje são mais atuais do que nunca. Por exemplo:

“O excesso sexual é meio eficaz para destruir o amor aos exercícios devocionais; tirará do cérebro a substância necessária para nutrir o organismo, vindo positivamente a debilitar a vitalidade” (Testemunhos Seletos, v. 1, p. 272).

“[Satanás] sabe que, se puder despertar as paixões inferiores e as conservar em ascendência, nada tem que se incomodar quanto a sua experiência cristã [da pessoa], pois as faculdades morais e intelectuais serão subordinadas, ao mesmo tempo que as tendências animalescas predominarão, mantendo-se em ascendência; e essas paixões inferiores se fortalecerão pelo exercício, enquanto as qualidades mais nobres se tornarão cada vez mais débeis” (Testemunhos Para a Igreja, v. 2, p. 480).

White também afirma que esses excessos sexuais e perversões seriam “sinais dos últimos dias, tal como nos dias anteriores ao dilúvio o casamento, tratado como o foi, tornara-se então um crime” (Testemunhos Para a Igreja, v. 2, p. 252).

“Mesmo homens e mulheres que professam piedade dão rédea solta a suas paixões de concupiscência, e nem pensam que Deus os considera responsáveis pelo dispêndio da energia vital que lhes enfraquece o poder na vida e enerva-lhes todo o organismo” (Testemunhos Seletos, v. 1, p. 267).

“Tenho sentido profundamente, ao ver a poderosa influência das paixões animais no controle de homens e mulheres de inteligência e habilidade fora do comum. Seriam capazes de se empenhar numa boa obra, de exercer poderosa influência, não estivessem escravizados por baixas paixões. Minha confiança na humanidade tem sido terrivelmente abalada” (Orientação da Criança, p. 442).

O inimigo de Deus sabe que seu tempo é curto e que logo Jesus colocará ponto final em suas obras malignas. Por isso, mais do que nunca na história deste planeta, Satanás utiliza todos os meios à sua disposição para escravizar os seres humanos e impedir-lhes de se preparar para o fim. Ele usa eficazmente os alimentos (para corromper corpo e mente), a mídia (para poluir os pensamentos) e o sexo (para degradar a moral). Mas a verdade (que é Cristo) liberta (João 8:32), por isso, devemos manter comunhão ininterrupta com Ele, se quisermos vencer o “leão que ruge procurando alguém para devorar” (1 Pedro 5:8).[MB]

Em tempo: a cegueira de alguns é tamanha, que mesmo causas aparentemente lícitas passam a ser defendidas com meios ilícitos (confira).

Leia também: "Consequências do sexo fora de contexto", "Pescadores ou pescados", "Sensualidade pura" e "Pornografia pode causar disfunção erétil – e coisas piores"

sexta-feira, dezembro 09, 2011

Na direção de Jesus

A história da corredora e modelo que abandonou a carreira para servir a Deus

Fábia Siqueira da Silva nasceu em fevereiro de 1985, em Campo Grande, MS. Cursou Publicidade e Propaganda no Unasp, campus Engenheiro Coelho, gosta de ler e praticar esportes. Atualmente, é secretária do Departamento de Publicações da Associação Catarinense da Igreja Adventista do Sétimo Dia, em São José, SC. Membro da Igreja Adventista do Estreito, em Florianópolis, Fábia trabalhou na agência Zoom, no Unasp, e como colportora por dois anos. Mas o que muitos hoje não sabem é que a moça foi campeã de corridas automobilísticas, sendo a única mulher na categoria, modelo e apresentadora de TV. Juntamente com o pai, Gernival, a mãe, Ione, e os irmãos, Phillip e Flávia, Fábia viveu uma experiência amarga que somente neste ano teve seu desfecho. Leia a entrevista concedida ao jornalista Michelson Borges, para saber mais detalhes dessa história de fé, sofrimento, vitória e superação. [Clique aqui para para ler.]

O mundo em crise: mas não cai a ficha nem a pose

Black Friday, Cyber Monday, décimo terceiro salário, liquidações, muito consumo e nada de poupança. Nem parece que o mundo vive uma crise econômica à beira de grave recessão. As incertezas apontam para os Estados Unidos e para a Europa – considerados os blocos mais ricos do planeta. O número de sem-teto em Atenas cresceu 25% desde 2008. Assim como nas principais capitais brasileiras, a população de rua aumenta na Grécia, na Itália e na França. Dormem-se nas calçadas e debaixo de viadutos, esticando-se uma folha de papelão e usando um cobertor para espantar o frio. Em Paris, são cada vez mais numerosos os homens ajoelhados nas calçadas exibindo a plaquinha “Eu tenho fome”.

No âmbito mundial, recente estudo do instituto alemão IFO diagnosticou que o Índice de Clima Econômico (ICE) para especialistas de 119 países despencou de 5,4 para 4,3 pontos entre julho e outubro. A falta de confiança nas políticas econômicas dos governos, o déficit público e o desemprego foram considerados os fatores que limitaram o crescimento econômico. Em apenas três meses o planeta passou da fase de boom para a recessão. Por essa metodologia, até a Alemanha – maior economia da Europa – caiu de 4,6 para 2,9 pontos. Nos Estados Unidos, a tendência de recuperação acabou impactada pela piora nas expectativas. Ainda assim, as agências de classificação de risco Moody’s e Fitch mantêm no AAA o rating norte-americano.

O problema para Barack Obama – em plena campanha para se manter na Casa Branca – é que não se sabe até quando o “triple A” será mantido. E qualquer alteração antes das complicadíssimas eleições – com seus delegados e votos por escrito – pode significar que o havaiano será o primeiro a não se reeleger, ao contrário de seus antecessores Bill Clinton (de 93 a 2001) e George W. Bush (2001 a 2009).

Os BRICS – agora com “S” maiúsculo por conta do ingresso da África do Sul – replicaram a tendência mundial. A Rússia e a Índia deixaram a confortável região de indicadores favoráveis (boom) em julho. Em outubro, a Rússia passou para a fase recessiva e a Índia conheceu o declínio. A mesma situação vive o Brasil, segundo o IFO, embora nossos shopping centers lotados digam o contrário.

O declínio do ciclo econômico atingiu também a América Latina que recuou de 5,6 para 4,4 pontos no trimestre analisado em relação ao anterior. [...]

Em tempo: as vendas da Black Friday nos Estados Unidos – na semana passada – foram 16% maiores que no ano passado. Durma com um barulho desse…

(Opinião e Notícia)

Nota: O consumismo e a gastança dos que ainda têm dinheiro mostra a indiferença deles para com os que sofrem. É o amor se esfriando de quase todos, conforme previu Jesus dois mil anos atrás (Mt 24:12). Além disso, essa falta de previdência mostra o quão despreparada está esta geração para os eventos difíceis que nos esperam no futuro. Assim, a vinda de Cristo será mesmo como a do ladrão (cf. 1Ts 5:2).[MB]

Leia também: “Goldman Sachs: como criar uma crise e governar o mundo” e "Consumidos"

Outra Leitura: planeta semelhante à Terra

Estava sentindo saudades de desenhar, por isso, de vez em quando, publicarei charges aqui, propondo outra leitura dos fatos.[MB]

quinta-feira, dezembro 08, 2011

Superpredador primitivo [?] tinha olho de alta precisão [!]

Fósseis recém-descobertos revelam que o primeiro superpredador da história da Terra contava com olhos à frente de seu tempo [!] para localizar presas no oceano. Com pelo menos 16 mil lentes de formato hexagonal (provavelmente eram bem mais), os olhos do Anomalocaris eram mais poderosos do que os da maioria de seus parentes vivos hoje [!], embora ele tenha vivido há 515 milhões de anos [segundo a esticada cronologia evolucionista], quando ainda nem havia animais terrestres. Embora o bicho (cujo nome científico quer dizer “camarão anômalo”) seja conhecido dos paleontólogos há tempos, versões bem preservadas de seus olhos nunca tinham sido achadas. Isso mudou graças aos fósseis vindos da ilha Kangaroo, na Austrália, e analisados pela equipe de John Paterson, da Universidade da Nova Inglaterra. O material é tão bom que permite a visualização individual dos omatídios, as pequenas lentes que, juntas, perfazem o olho composto.

Se você pensou numa mosca, acertou: é o mesmo tipo de visão hoje empregada pelos insetos e por outros membros do grupo dos artrópodes, como os camarões. A descoberta desse tipo de visão no Anomalocaris ajuda justamente a reforçar a ideia de que a criatura é aparentada aos ancestrais dos artrópodes, afirmam os cientistas responsáveis pelo achado.

A visão aguçada reforça outros elementos da anatomia da criatura - cauda e nadadeiras poderosas, corpo hidrodinâmico e apêndices bucais - que sugerem um predador ágil e feroz. Para os paleontólogos australianos, ele devia nadar em águas rasas e claras, nas quais sua visão seria útil.

A revista científica Nature, na qual a descrição dos olhos do Anomalocaris está saindo, colocou o invertebrado extinto na sua capa e ainda fez piada na manchete. Citando a célebre resposta do Lobo Mau à pergunta de Chapeuzinho Vermelho, a publicação diz que os olhos grandes do Anomalocaris “são para te ver melhor”.

(Folha.com)

Nota: Tem horas em que não acredito nas coisas que leio! Como os darwinistas têm coragem de chamar “primitivo” um ser vivo cuja complexidade supera a dos seus “parentes” atuais? E mais: Como, num tempo evolutivamente tão recuado, pode ter existido um tipo de olho tão extremamente complexo? (É bom lembrar que o Anomalocaris faz parte da enigmática explosão cambriana.) É mais uma evidência de que complexidade específica pode ser observada de alto a baixo na coluna geológica, deitando por terra a ideia de “ancestrais primitivos” que teriam dado origem a seres mais complexos à medida que se avança pelo tempo (um dos “deuses” da evolução). Tudo o que os darwinistas conseguem ver é a semelhança entre o olho do Anomalocaris e o das moscas, por exemplo, como se isso indicasse ancestralidade e não a assinatura do Designer. O mesmo ocorre com lulas e seres humanos, mas ninguém sugere ancestralidade direta entre ambos. Quando se avança tanto assim no passado (levando em conta a escala de tempo evolucionista), fica a pergunta: Como pode ter havido tempo suficiente para a evolução de seres tão complexos? Eles simplesmente surgem de repente no registro fóssil? O mesmo ocorre com a água viva (confira) e com o trilobita (confira). Os olhos grandes do Anomalocaris deveriam abrir os olhos de quem faz vista grossa para as evidências.[MB]

Leia também: “Encontrado animal marinho com olhos de cristal” e “O pior cego é o que não quer ver”

Robôs vão construir torre de 6 m de altura sozinhos

Robôs voadores, também chamados de quadricópteros, vão usar 1,5 mil blocos/módulos de isopor para erguer uma edificação de 6 m de altura e 3,5 m de diâmetro. Autômatos, ele têm sensores eletrônicos para garantir movimento preciso e permitir a intercomunicação, além de mecanismo para evitar colisões entre si. Os quadricópteros automáticos são controlados por uma central, que os monitora a uma taxa de 370 frames por segundo dentro de uma arena especial de 10 m.

(Terra)

Comentário do leitor Valter Baiecijo: “Esses robôs constroem, na verdade, empilham blocos, formando a torre, e isso é uma maravilha! Tudo bem, mas o que falar das capacidades dos animais (cupins, abelhas, joão-de-barro, pássaro tecelão) que realmente constroem, com sistemas muito mais complexos?”

Clique aqui, aqui e aqui para conferir as obras dos arquitetos da natureza.

Coreia do Norte constrói míssil capaz de alcançar EUA

A Coreia do Norte construiu seu primeiro míssil balístico intercontinental capaz de alcançar o território dos Estados Unidos, apontou nesta terça-feira o jornal The Washington Times, que cita informantes do governo do presidente Barack Obama. O artigo indica que cinco legisladores republicanos na Câmara de Representantes revelaram a informação em carta que enviaram ao chefe do Pentágono, Leon Panetta, na qual o questionam sobre os dados levantados pelos serviços de inteligência. Segundo os funcionários do governo que falaram com o Times, e que o jornal não identifica, os analistas e serviços de inteligência acreditam que o míssil pode ser um variante do projétil Musudan, de alcance médio, cuja existência foi revelada publicamente em outubro de 2010.

“Outros dados dos serviços de inteligência apontam que o novo míssil balístico intercontinental pode estar sendo desenvolvido em uma instalação de testes no litoral oeste da Coreia do Norte”, acrescentou.

Até agora, os mísseis de longo alcance conhecidos do arsenal norte-coreano são o protótipo Taepodong-1, lançado de uma rampa, e o Taeopodong-2, que também pode ser lançado do espaço e que foi testado em abril de 2009.

Os mísseis móveis, como os que supostamente estão sendo desenvolvidos na Coreia do Norte, são mais difíceis de localizar e mais fáceis de serem ocultados, além de apresentarem facilidades no lançamento.

(Terra)

Nota: Notícias de um mundo cada vez mais perigoso e instável.

quarta-feira, dezembro 07, 2011

Semente de dois mil anos ainda produz vida

A árvore, agora com 2,5 metros de altura, foi cultivada a partir de uma semente de dois mil anos de idade, que arqueólogos encontraram em uma escavação em Masada, na década de 1960, e foi plantada quinta-feira, em Kibbutz Ketura. Uma equipe de pesquisadores inicialmente plantou a semente em um local secreto a fim de que não fosse roubada. Agora, espera-se que a planta, que é de uma espécie rara, produza frutos que possam ser usados para fins medicinais e como alimento. Alguns anos atrás, o Dr. Sarah Sallon, especialista em medicina natural na Organização Médica Hadassah, ficou sabendo que a Bar-Ilan University tinha as sementes encontradas durante a escavação arqueológica. Ele recebeu algumas e as transferiu para a Dra. Elaine Solway, do Instituto de Estudos Ambientais Arava, em Ketura. A árvore plantada na quinta-feira foi a primeiro que brotou. O experimento foi publicado na prestigiosa revista Science. Testes com carbono-14 foram feitos na Universidade de Zurique e os resultados mostraram que a semente é do período do cerco romano de Masada, ou seja, dois milênios atrás.

(Informações do The Jerusalem Post)

Nota: Como comentou um amigo, o que é fantástico aqui é que aquilo que o ser humano produz não dura tanto assim a ponto de ser recuperado um dia e voltar a funcionar a contento. No caso da semente, a transmissão de informação genética foi preservada por uma latência até então desconhecida! Já pensou um notebook que fosse encontrado daqui a dois mil anos, plenamente funcional?[MB]

Leia também: "As sequóias poderiam indicar a data do Dilúvio?"

Igreja luterana realiza “missas tecno” para atrair jovens

O reverendo de uma igreja luterana de Estocolmo, na Suécia, criou um tipo de missa diferente na tentativa de atrair os jovens para as reuniões religiosas. Olle Idestrom, líder da Igreja de Todos os Santos (que, apesar do nome similar, não tem ligação com a fé mórmon), começou a realizar “missas tecno” nas noites de sexta-feira.

(G1 Notícias)

Nota: Guardadas as proporções, quando outras igrejas se utilizam de músicas populares (com estilo contemporâneo, porém “mundano”) no afã de agradar e atrair os jovens, não estariam indo pelo mesmo caminho equivocado? O correto não é convidar as pessoas para conhecer Jesus e ter seus gostos e preferências mudados por Ele? Ellen White diz que, quando a igreja se aproxima do “mundo” com o objetivo de ganhar o “mundo”, acaba perdendo seus membros para o “mundo”.[MB]

Governos fazem espionagem em massa

O site Wikileaks divulgou nesta quinta-feira (1) um sistema de espionagem em massa realizado por governos de diversos países em telefones celulares, computadores e também nos perfis de redes sociais de seus cidadãos. A prática, diz o documento, é adotada por ao menos 25 nações (entre elas o Brasil) por intermédio de 160 empresas de inteligência. “Na prática, essa indústria [de espionagem] não é regulamentada. Agências de inteligência, forças militares e autoridades policiais podem, de forma silenciosa, em massa e secretamente, interceptar ligações e controlar computadores sem a ajuda ou conhecimento de empresas de telecomunicações. A localização física do usuário pode ser traçada se ele tiver um telefone celular, mesmo que o aparelho esteja em stand by”, afirma o documento do Wikileaks.

Esse vazamento foi chamado de projeto Spy Files (arquivos espiões) e, segundo o Wikileaks, mais informações serão publicadas sobre esse tipo de espionagem ainda nesta semana e também no próximo ano. O projeto fala ainda sobre a existência de muitas empresas que vendem equipamentos de espionagem em massa para agências de inteligência.

“Nos últimos dez anos, sistemas para espionagem indiscriminada em massa tornaram-se a regra. Empresas de inteligência como a VasTech vendem secretamente equipamentos que registram de forma permanente chamadas telefônicas de nações inteiras. Outras gravam a localização de cada telefone celular em uma cidade [...]. Sistemas para infectar cada usuário do Facebook ou de smartphone de um grupo inteiro de pessoas estão no mercado de inteligência”, diz o documento do Wikileaks. [...]

(UOL)