sexta-feira, novembro 06, 2015

Verme do porco é retirado do cérebro de homem nos EUA

O verme foi retirado da cabeça dele
Um homem que vive na Califórnia, nos Estados Unidos, foi surpreendido com um prognóstico pouco animador quando procurou os médicos de um hospital em Napa por causa de uma dor de cabeça agoniante. Em um escaneamento, o neurocirurgião que o atendeu, Soren Singel, detectou um verme vivo no cérebro de Luis Ortiz e disse ao paciente que ele teria apenas 30 minutos de vida. Ortiz foi imediatamente submetido a uma cirurgia de emergência. O verme tinha crescido e formado um cisto que obstruiu a circulação e o fluxo de água para o resto do cérebro. O paciente foi anestesiado e, com auxílio de câmeras, os médicos localizaram e retiraram o verme em forma de larva, uma tênia. “O médico disse que quando tirou aquilo, ainda estava balançando”, contou Ortiz.

Os Centros Americanos para Controle e Prevenção de Doenças (CDC na sigla em inglês) dizem que cistos formados por larvas no cérebro – a chamada neurocisticercose – podem se desenvolver depois através da ingestão de ovos microscópicos, normalmente presentes em fezes de pessoas infectadas com a Taenia solium (tênia do porco).

A tênia do porco
Uma vez no corpo, esses ovos se abrem, e as larvas sobem até o cérebro. Segundo os CDC, aproximadamente mil pessoas são hospitalizadas por ano por algum problema de neurocisticercose. [...]


Nota: Também o porco, porque tem unhas fendidas e o casco dividido, mas não rumina; este vos será imundo; da sua carne não comereis, nem tocareis no seu cadáver” (Lv 11:7, 8).


Nota do enfermeiro e mestre em Ciências da Saúde Everton Fernandes Alves: “Ellen White estava certa: ‘Pululam parasitas nos tecidos do porco.’ Porém, esses parasitas (cisticercos) presentes na musculatura dos porcos (e também dos bois) já estão na forma larval, e por isso causam nos humanos a chamada Teníase (solitária), e não a cisticercose do cérebro. Esses animais adquirem esses parasitas (quando estão na forma de ovos) ao ingerirem fezes humanas que contêm ovos da Taenia solium, os quais se transformam em larvas (cisticercos) depois, dentro deles, em seguida se instalam em seus músculos (onde produzem cisticercose) e em seus cérebros (neurocisticercose) (Sociedade Brasileira de Infectologia). Quando os humanos comem a carne do porco mal cozida, infectada com cisticercos já na forma de larvas, esses parasitas larvais evoluem para a forma adulta no intestino delgado humano, levando à doença chamada Teníase Intestinal, e não, volto a frisar, à cisticercose do cérebro.

Mas então como o homem adquire a cisticercose? O homem contrai a cisticercose (na forma de ovos), na maioria das vezes, por meio do consumo de alimentos contaminados (com os ovos da tênia), tais como frutas, verduras, hortaliças que não são higienizados corretamente (contaminados com fezes humanas), ou por meio do consumo de água contaminada. Os ovos podem ser encontrados também nas mãos contaminadas do ser humano, na região do ânus, nas roupas e até mesmo na mobília da residência, por isso é contraindicado roer unhas.

O curioso é que parece haver evidências, sim, de probabilidade, mesmo que pequena, de que a carne de porco também propicie a cisticercose diretamente em humanos (Jornal Cruzeiro, 2012). Entretanto, não é exatamente uma evidência científica, mas uma entrevista com um neurologista.

Referências:
Sociedade Brasileira de Infectologia. Teníase/Cisticercose. Disponível em: http://www.infectologia.org.br/teniasecisticercose/
Jornal Cruzeiro (2012). Entrevista com o neurologista Luiz Carlos Beda. Disponível em: http://www.jornalcruzeiro.com.br/materia/430711/neurocisticercose-e-causada-por-carne-de-porco-frutas-ou-verduras-contaminadas